sábado, 16 de fevereiro de 2013

CONSTELAÇÃO DO CÃO MAIOR NEBULOSA ELMO DE THOR

Rosto materializado
Nebulosa Elmo de Thor é captada pelo telescópio
terrestre mais avançado do mundo ESO/Divulgação

A Nebulosa Elmo de Thor foi observada pelo supertelescópio óptico mais avançado do mundo, o Very Large Telescope (VLT), que fica em Cerro Paranal, no norte do Chile. O objeto, também conhecido pela sigla NGC 2359, está a 15 mil anos-luz da Terra, na constelação do Cão Maior.

Essa grande bolha de poeira cósmica em forma de capacete se desloca à medida que sopra o vento em volta da estrela brilhante no centro da imagem. O gás contido na nebulosa também é aquecido pela radiação emitida por esse astro. Cada cor simboliza um elemento diferente do gás.

As fotos da NGC 2359 foram divulgadas no dia do aniversário de 50 anos do Observatório Europeu do Sul (ESO), que opera o VLT e é considerado o observatório astronômico terrestre mais produtivo do mundo, do qual fazem parte 15 estados-membros.

Na manhã desta quinta, foram feitas observações a pedido do público, que olhou o céu pelo espelho principal de 8,2 metros de diâmetro do telescópio. A vencedora de um concurso de aniversário do ESO, Brigitte Bailleul, escolheu admirar a Nebulosa Elmo de Thor, e as imagens foram transmitidas ao vivo pela internet.
Vista de um campo amplo do céu em torno da nebulosa,
que fica a 15 mil anos-luz  ESO/Divulgação

Além da unidade em Cerro Paranal, o ESO opera nas localidades de La Silla e no Planalto de Chajnantor, também na região do deserto do Atacama. Nesse último lugar, está sendo construído um telescópio que promete revolucionar a astronomia, chamado Atacama Large Millimeter/Submillimeter Array (Alma).

Esse novo projeto é uma parceria entre a Europa, a América do Norte e o Leste Asiático, em cooperação com o Chile. O Alma deve ter 66 antenas de alta precisão, e a construção deve terminar em 2013.

G1 Ciência e Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário