segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

LINHAS LEY CHACRAS PLANETARIOS

Os chacras são “rodas que giram”, discos girando pra quem vê de cima, como se cada chacra fosse uma flor com várias pétalas, uma dentro da outra, se abrindo em constante movimento, e no caso dos chacras terrestres trazendo de dentro pra fora a energia que vem do núcleo da Terra numa espécie de “funil” que se situa bem no centro do disco.

A borda mais estreita do funil vai até o centro da Terra, no núcleo terrestre, enquanto que a parte maior do funil (também no formato de um círculo) se alastra pela área de atuação desse chacra na superfície terrestre. Vale lembrar que temos 12 grandes chacras terrestres ou grandes discos, mas existem inúmeros chacras menores em todos os territórios do globo, que se corresponde com esses 12 chacras. Não foi a toa que Chico Xavier pediu para João de Deus construir o lar de Abadiânia exatamente em Goiás, pois exatamente lá, irradiando pra Brasília, se encontra um chacra secundário que se corresponde com dois grandes chacras próximos ao território brasileiro.

Além disso, os chacras visam facilitar a correspondência do plano material e astral da Terra com os planos superiores, visto que a muitos dos espíritos que vivem no sistema solar estão em planos acima do plano astral. Os chacras, portanto, criam também uma ponte entre o plano físico e astral da Terra e também com o plano mental de todo o sistema solar.

Vamos primeiramente analisar a localização dos setes chacras iniciais, que representam os sete centros de força astral do planeta:

Califórnia
cobre toda a extensão da facha de san andréas, até Nevada

Peru
cobre Machu pichu e se estende até o lago Titicaca

Norte da Austrália
próximo ao antigo território da Lemúria

Tibet e Inglaterra

Egito e Israel
se amplia desde a grande pirâmide até o monte Carmelo

Chacra móvel
atualmente na Rússia
Para conhecer os demais chacras, precisamos relembrar o que já foi dito aqui sobre a malha magnética da Terra, no formato de uma grande rede que envolve a Terra. Nessa grande malha, se encontra o “sistema nervoso” da Terra e uma rede de “artérias” e “veias” que cobre todo o planeta.

Existem duas grandes “artérias” no corpo terrestre, que equivalem a Aorta do coração humano. São as duas linhas que serpenteiam, ondulam ao redor da Terra e se entrelaçam em alguns pontos, formando o símbolo do infinito nesse entrelaçamento. Essas duas serpentes (alguém aí lembrou do caduceu de Hermes Trimegisto?) ativam 4 vórtices ligados aos 4 elementos e aos 4 tipos sanguíneos da raça humana, são esses 4 vórtices os 4 chacras principais além dos 7 já citados que representam os centros de força material do planeta:

Água   Nova Zelândia
Fogo   Hawai
Terra  Cidade do Cabo
Ar       Egito e Israel a mesma localização de um dos 7 chacras
Jesus nasceu em Israel e que a Esfinge foi construída no Egito

Vamos ver agora onde cada uma dessas serpentes passa, se correspondendo com grandes chacras e chacras secundários:

Serpente “feminina”
Norte da Austrália (cauda), Bali (Indonésia), Tibet,
Rússia, Inglaterra, Atlântida (cabeça), Lago Titicaca

Serpente “masculina”
Califórnia, México (cauda), Bali, Monte Fuji (Japão) (cabeça)

O 12ª chacra é exatamente o ponto onde essas duas serpentes se entrelaçam, o que ocorre exatamente em Bali, Indonésia, esse vórtice é responsável pela purificação do planeta e atua diretamente sobre os 11 demais em total sincronia com a malha magnética da Terra.

Reparem que o único território mundial por onde passam as duas "serpentes" ao mesmo tempo, além da Indonésia, é exatamente o Brasil (no lago Titicaca elas apenas se encontram, mas não se entrelaçam) .

Outro dado interessante é que o chacra móvel estava exatamente sobre a Atlântida nos séculos da última Era de Ouro até o afundamento da grande ilha de Poseidonis. Esse chacra permaneceu também, muitos séculos depois, em Jerusalém, desde a formação da comunidade dos essênios no Monte Carmelo até o fim da missão messiânica de Jesus em Jerusalém, criando uma energia impressionante naquela época junto com o quinto chacra e o chacra responsável pelo elemento ar, o 11.

Acabamos de ver que existem dois fluxos energéticos, ondulatórios, que fluem no sentido leste-oeste, oriente-ocidente, oeste-leste, ocidente-oriente. No entanto não existem apenas esses dois fluxos energéticos, existem mais dois, que saem exatamente do centro do planeta e retornam até o centro do planeta, através dos pólos, e facilmente visíveis na figura abaixo da magnetosfera terrestre.


O Pólo norte magnético está aproximadamente 1.600 km do pólo norte geográfico, enquanto o pólo sul magnético está aproximadamente 2600 km do pólo sul geográfico, exatamente entre o pólo norte geográfico e magnético flui uma “serpente” energética, assim como entre o pólo sul geográfico e magnético, ambas fluem entre norte e sul e sul e norte. Esses 4 fluxos energéticos (os dois horizontais e os dois verticais) formam uma esfera, por onde fluem cursos circulares em diversas direções, exatamente como os movimentos dos elétrons em uma eletrosfera.

Os chacras são como funis, exatamente a posição oposta a das pirâmides. Esse funil apresenta seu círculo apontando pra fora, com o funil apontando em direção interna do corpo astral. Já as pirâmides apontam o “funil” (topo da pirâmide) pra cima, justamente por estarem ligadas aos chacras sobre os quais foram construídos, em sua maioria chacras menores que existem em milhares de pontos da superfície terrestre. Por isso que toda pirâmide física, construída sobre um chacra menor planetário, tem sua contrapartida apontando pra baixo, pois a pirâmide é justamente a parte oposta do chacra planetário, é o "funil" apontando pra cima na direção oposta do chacra, que possui o "funil" apontando pra baixo.

Considerando isso, é fácil compreender que a pirâmide física, aquela que vemos na superfície terrestre, está envolta de um circulo, pois os chacras são um círculo, uma “roda” que afunila em direção ao centro do planeta.

Podemos facilmente imaginar isso ao ver a figura abaixo, que nada mais é do que um simples campo de força mental usado na apometria.
Reparem na base da pirâmide: ela está dentro de um círculo (ele nada mais é do que a “roda” do chacra terrestre, da onde vem a kundalini, energia telúrica).

Além desse círculo que envolve a base da pirâmide, pode-se observar uma pirâmide apontando pra baixo, que representa exatamente o chacra (afunilando) e uma esfera envolvendo toda a estrutura que representa todo o fluxo energético vertical e horizontal nas diversas direções e sentidos formando um campo de força, campo esse equivalente a uma proporção menor da malha magnética terrestre.

http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com/2011/11/chacras-planetarios-piramides-astrais.html#ixzz2Eemlfe9x

Nenhum comentário:

Postar um comentário