quinta-feira, 24 de junho de 2010

ANTAKARANA E MÔNADAS


A construção do antakarana, ou ponte do arco-íris, é um assunto absolutamente fascinante. Chegará o dia em que a ciência do antakarana será ensinada em
todas as escolas e salas de aula do mundo. Ela é a verdadeira ciência da
mente, pois utiliza a substância mental para construir uma ponte entre a personalidade e a alma. À medida em que o ser evolui, entre a alma
[Eu Superior, Cristo, Filho de Deus Pai e da Mãe Terra que veio a este planeta
com o objetivo de revelar na natureza de Deus que é amor] a Tríade Espiritual
e a Mônada [Presença Eu Sou].

A tríade espiritual é o veículo por meio do qual a mônada trabalha, do mesmo
modo que a alma, na Terra, trabalha através da personalidade. A mônada
trabalha através do tríplice veículo composto pela vontade espiritual, pela
intuição e pela mente superior.

O antakarana é o fio, e mais tarde o cordão que o discípulo cria pela
compreensão, pelas práticas espirituais e pelo trabalho espiritual específico e
dirigido. Nesse processo, o discípulo recebe ajuda da alma e, mais tarde, da
mônada; mas a primeira parte do trabalho tem que ser feita por ele.

A mônada já tem um fio ou cordão de energia que se estende dela mesma até
o chakra do coração do discípulo na Terra. Esse cordão de energia é chamado
de sutratama, fio da vida, ou cordão de prata. A alma tem um fio ou cordão,
chamado de cordão da consciência, que se estende dela mesma até a glândula
pineal do discípulo. O conhecimento usa o cordão da consciência. A energia da sabedoria usa o antakarana, quando ele está construído.

O antakarana é como um filamento de luz espiritual, construído do mesmo
modo como a aranha tece sua teia. Esse fio é tecido pelo próprio discípulo,
vida após vida, e ele só pode ser energizado por aquilo que contém vibração espiritual. O cordão da consciência tem as qualidades mentais da alma. O
antakarana é construído unicamente com as qualidades mentais e espirituais
da alma.

O sutratama e o cordão da consciência vem sendo construídos desde que o
homem chegou ao mundo material. O antakarana se desenvolve muito
lentamente, porque a pessoa precisa trilhar o caminho da experiência para
que esse trabalho se inicie realmente.

Tanto o sutratama quanto o cordão da consciência trabalham de cima para
baixo. O antakarana, ao contrário, de baixo para cima.

Nos estágios finais da construção desse cordão, na quinta iniciação e
ascensão, esses três cordões se fundem, se integram e se dissolvem um no
outro, exatamente como a personalidade, a alma e, mais tarde, a mônada se
fundem.

É pela criação do antakarana que todo esse processo se realiza. Criar o
antakarana é como estender um cabo ou construir uma ponte entre três
países, a personalidade, a alma e a mônada.

A construção dessa ponte se faz em três etapas.  Na primeira etapa, temos a integração da personalidade com os quatro corpos. Na segunda etapa é
construída a ponte desde a personalidade integrada e os quatro corpos até a
alma. Na terceira etapa é feita a construção da ponte desde a alma até a tríade espiritual e a mônada.

A construção do antakarana torna a consciência cerebral do discípulo receptiva
à orientação intuitiva e às impressões oriundas dos reinos espirituais superiores
e da mente de Deus.

Ela permite que a alma, antes, e a mônada, depois, usem o discípulo, mais
tarde iniciado, para o serviço que elas precisam realizar na Terra.  A
personalidade se torna um veículo confiável para o uso da alma em seus
propósitos na Terra.

Esse propósito chega ao final na quarta iniciação, quando o corpo da alma
ou corpo causal, que armazena todas as virtudes e bom karma, é queimado.
Então, o fogo da mônada derrama-se através do antakarana para a alma,
mediadora entre a personalidade e a mônada, e a alma volta à mônada. A
alma não é mais necessária e volta a dissolver-se na mônada.  Tudo o que
resta então é a personalidade infusa de alma e a mônada, que agora é o guia.

Até esse ponto, o iniciado construiu o antakarana até a tríade espiritual e a
mônada. Embora esse antakarana construído seja forte, ainda não se realizou
uma fusão completa entre a mônada/tríade espiritual e a personalidade infusa
de alma. É na quinta iniciação que esses dois aspectos se fundem na
consciência.

Na sexta iniciação, eles se fundem não somente na consciência, mas também,
e completamente, nos quatro corpos [o físico, o emocional, o mental e o
espiritual] e toda a personalidade infusa de mônada e os corpos
transformam-se em Luz. O iniciado torna-se um Mestre Ascensionado nesta
sexta iniciação.

É o antakarana, que o discípulo construiu entre a personalidade, a alma e a
tríade espiritual/mônada, que possibilitou a realização de todo esse processo.

É também nesse ponto que o sutratama, o cordão da consciência, e o
antakarana se fundem, exatamente como aconteceu com a mônada, com a
alma e com a personalidade. O resultado dessa fusão é a imortalidade da
forma física.

Assim como Deus, Cristo e o Espírito Santo são três mentes que funcionam
como uma, do mesmo modo somos três mentes – mônada, alma e
personalidade – que funcionam numa unidade.  O microcosmo é igual ao macrocosmo. O espírito e a matéria, o pai e a mãe, são uma coisa só.

O antakarana é a Ponte de Luz ou o caminho iluminado sobre o qual o discípulo passa para os mundos superiores. É por meio dessa ponte e caminho
iluminado que ele alcança a libertação e a ascensão.

Essa integração também ajuda a fazer a ligação entre a consciência de
Shambala, a consciência hierárquica e a consciência humana.

A Consciência de Shambala
se relaciona com a mônada e com aspecto vontade.
A Consciência Hierárquica
se relaciona com a alma e com o aspecto amor.
A Consciência Humana
se relaciona com a personalidade e com aspecto inteligência.

O Mestre, ao realizar essa integração, também ajuda a construir o antakarana planetário, que é o antakarana para toda a Terra e para a humanidade.

Nas etapas iniciais da construção do antakarana, existem três fios autocriados menores que são criados inicialmente e que constituem o antakarana.

O primeiro fio entre o corpo físico e o corpo etérico
passa do coração para o baço.
O segundo fio vai do corpo etérico ao corpo astral
passa do plexo solar ao coração e deste ao corpo astral.
O terceiro fio vai do corpo astral ao corpo mental
Esse fio passa do chakra do terceiro olho
para o chakra da cabeça, e daí para o corpo mental.
Esses três fios menores auxiliam a extensão de alma
a integrar o sistema de quatro corpos.

A segunda etapa trata da construção do antakaran desde a personalidade
na Terra até a alma. Esse processo também pode ser descrito como a
construção de uma mente inferior, a alma e a mente superior. Em outras
palavras, podemos chamá-lo de ligação cérebro/mente/alma. Essa ponte
é construída com a substância mental.

O estágio de construção da ponte da alma a tríade espiritual e para a mônada
usa a substância de Luz. A ponte desde a personalidade até a alma cria uma iluminação completa da alma da personalidade na Terra. É nesse estágio que
o discípulo se vê como uma alma. Em estágios superiores, o iniciado se vê
como espírito ou como a própria mônada. Essa ponte possibilita à
personalidade superar todo sentido de separatividade e de medo.

A construção do antakarana tem como objetivo
a auto-realização e o serviço em benefício a humanidade.
Os seis passos para a construção do antakarana

Intenção
O primeiro passo implica uma compreensão da tarefa a ser cumprida, uma
decisão e determinação para cumpri-la e uma orientação correta para atingir
o objetivo. Ele também exige que as forças e energias da pessoa converjam
para o ponto mental/espiritual mais elevado que possa ser alcançado e que
ali se mantenham. Isso nos lembra “manter a mente firme na Luz”.

Visualização
O segundo passo envolve o uso da imaginação e das capacidades de
visualização para construir o cordão e a ponte de Luz.

Projeção
O terceiro passo envolve a utilização da vontade, ou poder da vontade, e o uso
de uma palavra de poder para transmitir essa linha ou ponte de substância de
Luz. A ação de enviar uma palavra de poder com o poder da vontade por meio
do cordão visualizado, com a mais elevada intenção possível, estende os
filamentos do cordão de Luz em direção á tríade espiritual e a mônada.

Invocação e Evocação
Essa invocação feita pelo discípulo atrai agora uma resposta evocativa da
tríade espiritual e da mônada. O Pai [Mônada], operando através do fio
criado pelo discípulo, põe-se em movimento para encontrar seu filho
[tensão de alma] A Mônada, ou Pai do Céu, emite uma projeção de
substância de Luz que encontra a projeção criada pelo discípulo na Terra.
A projeção inferior e a projeção superior se encontram e o antakarana é
construído. A tensão criada pelo discípulo evoca a atenção da mônada e da
tríade espiritual. Com a prática, esse cordão recíproco, ou ponte de energia,
torna-se cada vez mais resistente. É uma chama de Luz. Já não existe mais
a sensação dos três países separados da personalidade, da alma e da
mônada, mas um único ser atuando em todos os planos por esse caminho
de Luz.

Estabilização
No início, o antakarana é muito fino e parecido com um fio. Com a prática, a
meditação e uma vida espiritual adequada em todos os níveis de ser,
formar-se-á um cordão impossível de se romper.

Ressurreição
Esse último passo relaciona-se com o fortalecimento do cordão antakarana,
que então conduz a grande fusão e integração da triplicidade e que, na
quarta iniciação, tornou-se dualidade. Essa dualidade, na quinta e,
finalmente, na sexta iniciação ou ascensão, torna-se unidade, ou unificação
total da personalidade infusa de alma e da mônada que esteve operando
por meio da tríade espiritual. Esses dois estados de consciência se integram totalmente na quinta iniciação e se fundem plenamente com o sistema de
quatro corpos na sexta iniciação, que é a ascensão ou ressurreição. Os
quatro corpos(físico, astral, mental e espiritual) e a personalidade se
dissolvem na Luz e se tornam imortais.

portalascensional.wetpaint.com